Alambique da Sanhaçu torna-se primeiro do país totalmente movido a energia solar

Texto de João Almeida para o blog Brasil no Copo

A cachaça Sanhaçu, de Chã Grande, em Pernambuco, uma das primeiras a ter o selo orgânico no Brasil, acaba e se tornar o primeiro alambique do país a ser abastecido totalmente com energia produzida somente pela luz do sol. Depois de meses de pesquisa e muito trabalho nas instalações das placas fotovoltaicas e de todo sistema de conversão da luz do sol e energia elétrica, é possível afirmar que a cachaça pernambucana agora é completamente sustentável.

Mais do que isso! De acordo com Elk Barreto, uma das proprietárias da marca, a energia gerada com os 35 metros quadrados de placas instaladas serão enviadas para a Companhia Energética de Pernambuco – Celpe e devolvida para abastecer residências desde que as contas de energia estejam no nome da empresa.Isso para que não se caracterize concorrência com a fornecedora oficial de energia elétrica do estado. “Nós geramos energia para a Celpe e conseguimos desconto em nossa conta de luz”, afirma a empresária. E a tendência é de que a conta feche sempre no azul para o alambique. “O sistema tem a capacidade de gerar 680,40 kwh/mês. Se nosso consumo ficar abaixo disso, não pagamos nada e ainda ficamos com crédito para o mês seguinte”, completa Elk.

A empresária afirma ainda que, de acordo com as contas do alambique, a tendência é de que o investimento se pague em pouco tempo. “O projeto que compramos custou R$ 32 mil e tem garantia de 15 anos. Segundo o fabricante, aos 15 anos de uso, ele ainda terá 90% de eficiência energética e 80% aos 20, isso para as placas solares. Com a instalação do sistema de captação de energia solar a fábrica garante ainda acesso a selos verdes de produção. “Já tínhamos um pequeno sistema de fornecimento, o que fizemos foi ampliar a capacidade, com um investimento maior”, afirma Elk Barreto, lembrando a preocupação com a sustentabilidade que sempre esteve no DNA da Sanhaçu, que mantém em seu escopo a preservação ambiental como forma de captar mais recursos financeiros, explorando por exemplo, o turismo ecológico na fazenda.

Antes de iniciar o projeto, a família Barreto se debruçou em estudos. Descobriu, por exemplo, que no Brasil a incidência de raios solares é de 4.500 Wh/m2 a 6.300 Wh/m2 por dia e que o lugar mais ensolarado da Alemanha recebe 40% menos que isso. Mesmo assim, o país europeu segue batendo recordes de produção de energia solar. Um estudo recente sobre o assunto publicado na revista Galileu deu conta de que entre 12h e 13 do dia 26 de maio, o país gerou 22 gigawatts de eletricidade usando somente a luz do sol, um recorde mundial. Para se ter uma ideia, o número equivale a 1,5 vezes a energia gerada pela usina de Itaipu no mesmo período. Como os números vão se refletir na cachaça é um passo que vamos aguardar, mas a ponta do lápis já indica balanço positivo no alambique da Sanhaçu

Fonte: Blog Brasil no Copo, 07 de outubro de 2015


Conteúdo relacionado: Mini destaques, Na mídia
Sanhaçu – Cachaça orgânica e Produtos agroecológicos. Pernambuco – Brasil

    DoDesign-s Design & Marketing
    Sanhaçu – Cachaça orgânica e Produtos agroecológicos. Pernambuco – Brasil